tecnicas de modelagem

Técnicas de Modelagem

 

“A modelagem está para o design de moda, assim como a engenharia está para a arquitetura” (TREPTOW, 2007, p. 154).

A técnica de modelar é responsável por tornar viável a construção de peças do vestuário de acordo com o modelo que se deseja produzir. Osório (2007) explica que a modelagem tem como objetivo principal reproduzir uma peça de acordo com o tipo físico de determinada pessoa (sob medida – alta costura) ou público-alvo (tamanho padrão – indústria).

Existem dois processos para a realização da modelagem: a modelagem plana e a moulage. A principal diferença entre elas é que a primeira se faz no plano bidimensional (altura e largura) enquanto a segunda utiliza o plano tridimensional (altura, largura e profundidade). Há, ainda, a modelagem computadorizada que consiste em criar ou digitalizar moldes por meio de softwares especializados (como Audaces e Lectra), sendo também considerada modelagem plana.

MODELAGEM PLANA

O desenvolvimento da modelagem plana se inicia com o traçado de um diagrama, seguindo as medidas da tabela anatômica, que dão origem a um molde básico.

É a partir dos moldes básicos que interpreta-se o modelo proposto pelo estilista. Para isso, é preciso fazer uma breve análise do desenho ou imagem que se deseja realizar para, então, verificar que tipo de base usar e quanto de vestibilidade aplicar no desenvolvimento do novo modelo, dando maior importância as pences, recortes, comprimentos, folgas de costura e amplitude da modelagem.

O modelista, além de elaborar o molde, tem que possuir conhecimento sobre tecidos, fator fundamental para o acrescimo de folgas e margens de costura, pois essas medidas variam de acordo com as características do mesmo, bem como do modelo que se deseja desenvolver.

MOULAGE

A moulage ou draping consiste na técnica de modelar diretamente no manqeuim. As pioneiras desta técnica foram Madeleine Vionnet e Madame Grès que “[…] não realizavam desenhos de seus modelos, mas participavam da execução trabalhando o tecido diretamente sobre o corpo do manequim” (TREPTOW, 2007, p. 36). Este deve ser preparado corretamente para a realização da peça sendo necessária a marcação de linhas de construção (geralmente feitas de sutache vermelho e azul) posicionadas no sentido vertical e horizontal delimitando os pontos principais do corpo e reduzindo a possibilidade de defeitos na peça final.

Na técnica da moulage, o tecido é sobreposto sobre o corpo ou manequim, com o auxílio de marcações que formarão os moldes, assim também tendo uma melhor visão quanto a proporção da peça e do caimento de tecido.

Modelar as peças de acordo com cada proposta empresária requer habilidades de um profissional de Design de Moda, já que os conhecimentos pré-requisito para a atuação se dá na formação acadêmica ou como se percebe no cotidiano da experiência prática adquirida ao longo da atuação. Porém, destaca-se que um profissional com formação na área da modelagem adquire habilidades nas diversas proposta de modelar, bem como com modelagens adaptativas que atendem a um nicho de mercado específico que se faz necessário inserir como cliente em potencial.
Referências:
TREPTOW, Doris. Inventando Moda: Planejamento e coleção. 4.ed. Brusque: D.Treptow, 2007.

 

Márcia Elisa Madeira Trevisol
Munike Ávila
Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda – SENAI/UNESC

FIESC-SENAI

home

A erotização no vestuário feminino infantil

A estudante do curso Superior de Tecnologia em Design de Moda (SENAI/UNESC) de Criciúma-SC, Patrícia Ricken, foi a campo e investigou a erotização no vestuário feminino infantil em crianças de duas escolas situadas na região Sul de santa Catarina, sendo uma de zona rural e outra de zona urbana.

Meninos e meninas de 9 a 12 anos participaram da pesquisa, da seguinte forma: foi apresentado figuras constituindo-se de uma boneca, e de ambos os lados vestimentas, uma representando a roupa adultizada e a outra a roupa adequada, lúdica. Foi solicitado que escolhessem uma das duas opções, em seguida colorir, recortar e colar sobre o desenho da boneca.

O estudo revelou que 56% das crianças residentes do bairro da área rural optaram pelo vestuário lúdico, enquanto apenas 36% das crianças residentes do bairro da área urbana optaram pelo mesmo item, evidenciando a influência cultural na construção da subjetividade. Somando as crianças das duas escolas 53% optaram pelo vestuário adultizado.

Figura 1 – Vestuário lúdico

fig 1

Fonte: (Autora 2014)

 

 

Figura 2 – Vestuário adultizado

fig 2

Fonte: (Autora 2014)

O estudo revelou que, para além das funções básicas: proteção contra intempéries, distinção de sexo, classe, e pudor a vestimenta infantil na atualidade possui conotação exacerbada da sexualidade, especialmente o vestuário feminino.

A autora propõe que designers de moda observem que a atração pelo produto muitas vezes ocorre quando são apresentados aspectos característicos da infância como o lúdico, e a interatividade, nesse sentido é possível o desenvolvimento de produto com essas características.

 

Prof. Vilma Marta Caleff
do Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda – SENAI/UNESC

FIESC-SENAI

melhorar-producao-eliminar-gargalos

Como melhorar a produção eliminando gargalos


GARGALOS DENTRO DA CONFECÇÃO DE ROUPAS

A identificação de gargalos pode ser feita em dois momentos:

  • Na execução das operações em um fluxo de fabricação onde identificamos qual operação está demorando mais tempo que os demais, neste caso ocorre acúmulo da operação anterior e falta na posterior. Tomando a fabricação de uma calça jeans, por exemplo, dividida em 3 etapas:
    1. embutir,
    2. montar,
    3. acabamento.Observamos que a parte de embutir é rápida e solta muito, tanto que acumula para a parte de montagem, já a parte de acabamento fica parada porque não chega nada. Neste caso o gargalo é a montagem.
  • Analisando a produtividade registrada na ficha técnica de fabricação detalhada, a operação ou atividade que registrou a menor produtividade é o gargalo. Neste caso consideramos as anotações rotineiras de produção, sempre tem aquela costureira que produz menos, então com observações podemos chegar à conclusão de que aquele processo é o gargalo, considerando mesmo ritmo.


ELIMINAÇÃO DE GARGALOS

Com a identificação do gargalo de produção é necessário identificar quais pontos podem ser melhorados dentro da produção.

A identificação pode ser feita através da observação e experiência do responsável pelo setor ou pelo colaborador responsável. Também pode ser através de uma checagem geral em todo o processo e seu meio. Saber se o maquinário está em dia, manutenção e uso correto, se a matéria prima está de acordo com a pilotagem e as anotações relativas à qualidade, se o colaborador é capacitado para exercer a função ou se está em condições ideais para uma produção satisfatória. Também se a forma como está sendo executado o trabalho é realmente a melhor forma, a peça piloto está acessível, se existe iluminação suficiente, ventilação suficiente, as máquinas estão em posições que facilitem o processo. Muito importante também é saber se o tempo de produção condiz com as condições atuais de produção.

Enfim, analisar detalhadamente tudo dentro da produção, identificar o que está atrapalhando o atrasando e gerar estratégias para contornar e melhorar.


SOLUÇÕES

É essencial a participação dos colaboradores na elaboração de propostas de solução, eles é que estão diretamente ligados ao que é importante na produção, conhecem firmemente o processo. Saber se o custo da mudança vai ser compatível com o resultado é primordial, faça uma análise se o investimento vai “valer a pena”, se vai ser a curto, médio ou longo prazo. Não basta decidir que precisa contratar mais funcionários e não saber se vai ser viável, se o resultado será imediato ou não, se a empresa pode ou não contratar.

BENEFÍCIOS DA ELIMINAÇÃO DOS GARGALOS

  • REDUÇÃO DO TEMPO DE FABRICAÇÃO
  • AUMENTO DE PRODUTIVIDADE
  • CUMPRIMENTO DOS PRAZOS DE ENTREGA
  • REDUÇÃO DE CUSTOS


Renata Gomes 

Profissional de gestão em chão de fábrica, com conhecimento prático em modelagem, costura, criação. DNA de moda.
http://fabricaderoupas.blogspot.com.br/

lingerie

Lingerie, mais que uma peça íntima

Faz muito tempo que a lingerie deixou de ser apenas uma peça íntima, ainda mais no Brasil. Já foi comprovado em pesquisas a níveis mundiais que a brasileira é a mulher que mais se preocupa com as suas lingeries. Mas por quê?

Lingerie-1

É bem simples, a mulher brasileira é tida com a mais bela do mundo e sendo assim as mesmas se sentem um tanto ‘pressionadas’ a se manterem sempre bem vestidas, inclusive em suas peças íntimas. Vendo todo este potencial econômico as marcas investem muito em tecnologia e diferenciais fashion nesta área.

O Brasil não é tido como um exportador de moda e sim importador, ou seja, se inspira e quase imita o que vem de fora, com exceção das peças íntimas e biquínis, nesta área somos nós que ditamos as ‘regras’.

Lingerie-2

As cores, os tecidos, as armações, é tudo cuidadosamente pensado, pois além da beleza e da sensualidade prezamos muito pelo conforto, afinal de contas não há nada pior do que um soutien que machuca ou uma calcinha desconfortável não é mesmo?!?

Lingerie-3

Uma dica, sempre compre o seu número, nem a mais nem a menos, pois o que é seu tamanho que não vai marcar o desnecessário nem criar a ilusão de algo que não existe, para mais ou para menos! As mulheres se sentem mais poderosas apenas por estar utilizando uma lingerie especial, assim, para aquele dia que precisamos nos sentir seguras e preparadas nada melhor que uma boa lingerie para dar um UP na auto estima e toda a forma do look escolhido não é mesmo? Por hoje é só, um beijo e até a próxima!


JADSNARA LUNARDI BROGNARA
FIESC-SENAI

img_ideia_craitiva

Saiba como ter boas ideias criativas para sua coleção

Cada pessoa tem, no seu íntimo, uma maneira única de criar. Seja a partir de um lápis e de uma folha em branco, softwares, aplicativos eletrônicos, cortando revista e fazendo montagem, são infinitas as formas e técnicas dos criativos na hora de transpassar da mente suas ideias. Mas vale lembrar que o mais importânte e fundamental é A IDEIA em si, e o que ela representa. 

 

 APAGUE OS PENSAMENTOS RESTRITIVOS

No processo criativo de um estilista são levados em consideração muitos itens, como: temas, tecidos, materiais, linhas, botões, cortes, estilos, cores, caimento, estampas, texturas, combinações que precisam estar alinhados com realidade da produção de cada empresa.

Infelizmente, algumas restrições mercadológicas inibem o processo criativo, e isso impacta diretamente na produção de boas ideias. Pois o cérebro fica te punindo ao querer fazer uma roupa com matéria-prima proveniente da lua, por exemplo. Loucura ou não, são das ideias mais absurdas que surgem ideias boas e aplicáveis.

Por isso, o ideal é que num primeiro momento você se liberte de qualquer restrição. Esqueça o público-alvo, se é moda teen, casual, inverno, verão, … apague tudo isso de sua memória e imagine que você tem o mundo em suas mãos.

 

SONHE O MAIS ALTO QUE PUDER
Agora que você se libertou, vamos criar.

Ideias surgem da percepção e analise de pensamentos e lembranças, da bagagem cultural vivenciada por cada um. Um acúmulo de informações adquiridos através de livros, filmes, músicas, teatro, barzinhos, festas, viagens; unidos a sensações vividas de tristezas, alegrias, monotonia, diversão; uma montanha russa de sentimentos que norteiam nossas vidas.

Mas se você é daquelas pessoas que já passeou bastante, leu inúmeros livros, assistiu diversos filmes, viu várias peças de teatro, está sempre com um fone no ouvido … mas na hora de criar, parece que trava. Vem aquele branco assustador que assola sua mente.

Não se preocupe, você não é o único e não está sozinho.

Caso você não esteja afim de pegar uma revista ou site especializado e dar uma ‘inspirada’ no material alheio, tem algumas dicas que podem lhe ajudar a melhoras seus pensamentos criativos e abrir sua mente:
  

TÉCNICA DO CÍRCULO CRIATIVO

Inspiração é tudo que você precisa, mas umas palavrinhas chaves também já ajudam.

O objetivo é que, a partir de uma palavra, você vá montando um circulo de palavras similares ou que lembre a palavra anterior.

Inicie com uma palavra e vá adicionando a cada palavra seguinte um significado similar, por exemplo:

FELICIDADE > Alegria > Circo > Palhaço > Malabarista > Trapezista > Altura > Medo > Ajuda > Polícia > Bombeiros > Fogo > Paixão > Amor > Carinho > Casamento > Lua de mel > Filhos > FELICIDADE

Observe que as palavras tem ligação uma na outra.
Ou que façam algum sentido pra você.

ÁFRICA > Animais > Elefante > Devagar > Trânsito > Carro > Pneu > Borracharia > Sujeira > Água > Matar a sede > Coca-Cola > Mundial > Copa > Futebol > Bola > Pelé > Rei > Rainha > Xadrez > Estratégia > Arte da Guerra > Literatura > Monteiro Lobato > Sítio > Peixes > Mato > Campo > Deserto > ÁFRICA

Não economize nas palavras e pratique esse exercício com palavras que remetam a temas já pré selecionados. Essa é uma atividade ótima para sair do papel em branco e colocar o cérebro a funcionar.


DUAS, TRÊS, QUATRO, … CABEÇAS PENSAM MELHOR QUE UMA
Se possível faça grupos de discussão para sugestões de ideias, conhecido como:

 

BRAINSTORMING

Traduzindo do inglês, tempestade cerebral, que nada mais é do que uma técnica de dinâmica em grupo com o objetivo de explorar e aumentar a potencialidade criativa do grupo e também de cada indivíduo.

Não se limite a convidar apenas as pessoas do departamento de criação. Pessoas do financeiro, atendimento, e demais áreas da empresa podem dar sugestões e ideias tão boas quanto de profissionais que se formaram em moda, marketing ou publicidade.

Há varias técnicas de se fazer um brainstorming, entretando, a forma mais simples, fácil e rápida é colocar várias pessoas num único ambiente e dar um objetivo, exemplo: Tema da nova coleção.

Não se esqueça de anotar tudo que foi dito num primeiro momento, para posteriormente selecionar as melhores ideias, e trabalhar em cima delas.

As REGRAS mais importantes que você precisa se ater na hora de fazer o brainstorming são essas:

  • NÃO FAÇA CRÍTICAS: Críticas são rejeitadas. Não coibir, rir ou menosprezar qualquer ideia por mais absurda que possa parecer, ou por mais idiota que você acredite que ela possa ser. NÃO CRITIQUE. Apenas ouça, fale e complemente.

  • INCENTIVE A CRIATIVIDADE: Criatividade é bem-vinda. Não tenha vergonha, fale o que vier na sua mente, mas cuidado pra não perder o foco do objetivo.

  • QUANTO MAIS, MELHOR: Quantidade é necessário e gera qualidade, então, quanto mais ideias tiverem, melhor.

  • COMPARTILHE: Combinação e aperfeiçoamento são necessários. Viaje na ideia do outro, entre na sua loucura e complemente as ideias alheias. Compartilhe, construa, reconstrua seus pensamentos. 


Esse é o básico do básico para que você possa realizar um brainstorming eficiente.

E no mais, curta a vida e se apegue em cada momento dela, pois serão fundamentais para que você possa criar com mais facilidade.

 

ferramentas

Ferramentas da modelagem manual

Um bom profissional é aquele que sabe tirar o melhor proveito das ferramentas que tem a sua disposição.

Os sistemas de modelagem digitais, como o AUDACES, são uma mão na roda para muitos modelistas; entretanto nem todos gostam, se adaptam ou tem dinheiro disponível  para utilizar esse software.

Geralmente quem está iniciando na modelagem, inicia na prática, com operações manuais para ter um melhor aproveitamento do conteúdo teórico aprendido.

Além disso, grande parte do mercado da indústria da moda são compostos por micro e pequenas empresas que ainda estão nessa fase de transição, do manual para o digital, e usufruem diariamente das ferramentas manuais de modelagem para produzirem suas coleções.

Segue abaixo alguns dos principais instrumentos de trabalho dos modelistas:

 

Ferramentas e suas utilidades

 

  • Alfinetes: servem para fixar temporariamente pedaços de papel ou de tecido;
  • Alicate de Molde: é usado somente no molde de papel ou plástico para identificar os piques, ou pontos de junção;
  • Carretilha: é usado para transferir diretamente as linhas de um molde, para outra superfície abaixo dele;
  • Curva Francesa: utilizada para desenhar curvas;
  • Esquadro: usado para desenhar linhas de 45 e 90 graus;
  • Fita Métrica: item indispensável usado para tirar as medidas do corpo. Sua flexibilidade permite também medir linhas curvas;
  • Giz de Alfaiate: é um dos modos usados para riscar ou transferir o molde para o tecido;
  • Perfurador: é empregado na marcação da posição de pences, bolsos e outros pontos do molde. Ele permite fazer um furo de 2mm a 4mm, a posição do furo pode, então, ser marcada com giz sobre o tecido;
  • Régua de Alumínio:  desenhar e conectar linhas longas e retas;
  • Régua de Acrílico: além de ser utilizado para desenhar linhas, o acrílico transparente facilita a leitura e o manuseio para fazer as medidas;
  • Sovela: é um instrumento usado para perfurar o molde e marcar o tecido. Sua função também pode ser realizada pelo perfurador.

 

FERRAMENTAS BÁSICAS: TRADICIONAIS

 

ferramentas_basicas-TESOURAS ferramentas_basicas-REGUAS ferramentas_basicas-LAPISEIRAS ferramentas_basicas-FITAS-ADESIVAS ferramentas_basicas-FITAS_METRICAS ferramentas_basicas-COLAS ferramentas_basicas-CARRETILHA ferramentas_basicas-CANETAS ferramentas_basicas-ALFINETES

DICAS:

  • Papel: para o molde, utiliza-se uma gramatura mais grossa, que deixe ele bem firme. Nos moldes provisórios (detalhes, pences, teste de pregas, …)  utiliza-se uma gramatura um pouco mais fina;
  • Canetas: diferencie por cores para identificar os moldes;
  • Carretilha: para transferir seu molde para o tecido, primeiro estenda o tecido sobre uma superfície plana e coloque uma folha de papel carbono para costura sobre ele. Logo em seguida coloque o molde por cima e passe a carretilha por cima de bolsos e pences, de tal forma que você tenha linhas guias grifadas no tecido pra quando for costurar.
  • Colasalém das colas brancas tradicionais e de bastão, também existem colas spray que são muito boas para o manuseio dos moldes provisórios;
  • Tesoura: existem diversos tipos de tesoura, invista numa tesoura de qualidade para o corte do tecido, e uma mais simples para recortar os papeis e demais materiais;
  • Régua: opte por uma régua de fácil manuseio, rígida e preferencialmente grande;
  • Fita Métrica:  ao passar as medidas para o papel, utilize sempre  a fita métrica pois é mais precisa. Não utilize a régua pois pode haver diferença.

 

 

FERRAMENTAS AVANÇADAS: ESPECÍFICAS

 

ferramentas_avançadas-ALICATE_PIQUE ferramentas_avançadas-ALICATE_VAZADO ferramentas_avançadas-CURVA_FRANCESA ferramentas_avançadas-CURVA_QUADRIL ferramentas_avançadas-ESQUADRO ferramentas_avançadas-REGUA_ALFAIATE 

DICAS:

  • Esquadro: material acrílico;
  • Curva Francesa: existem diversos modelos e tamanhos, mas um padrão e bem conhecido é a 1116, ideal para decotes, cavas, ganchos e demais curvas acentuadas;

Agora você já conhece as ferramentas principais para iniciar sua modelagem manual. Mas elas não param por aí, se você se aprofundar ainda mais no tema, encontrará uma infinidade de ferramentas que facilitaram sua vida na hora de modelar, conforme você vai aprimorando suas técnicas.

Bom trabalho !!!

interpretacao_de_modelos

Interpretação de Modelos

Ao iniciar o processo de modelagem de uma peça, o modelista deve fazer o estudo completo do modelo criado pelo estilista, ou seja, analisar a proposta, caimento, acabamentos, processo de costura, encolhimento, customização, aviamentos entre outros.

MODELO | MODELAGEM | MOLDES

Todos estes fatores contribuem diretamente para o visual e vestibilidade da peça. O modelista inicia a modelagem através da Base, e modifica-a conforme o modelo desejado, seguindo sempre a tabela de medidas.

m2013-09-25-15.49

Lembrando que o trabalho do modelista é de grande responsabilidade, pois através dos seus moldes, milhares de peças podem ser replicadas.

costura_money

Como transformar sua industria de confecção numa máquina de fazer dinheiro?


Até onde vai o glamour e começa a burocracia ?

ONDE TUDO COMEÇA …

Empreender já não é uma tarefa muito fácil no Brasil, imagine então numa área tão competitiva e concorrida que é a da moda.

Observa-se no país um novo contexto de empreendedores cujas características divergem tanto na hora da sua idealização,  quanto no momento de ‘por a mão na massa’.

O jeitinho brasileiro pode parecer bonito aos olhos de quem vê, mas é estritamente perigoso para o sucesso de sua empresa.

Conhecimento e experiência são quesitos básicos e devem andar lado a lado nessa caminhada de aprendizagem empreendedora rumo ao sucesso.

SONHAR X FAZER X EMPREENDER

Ideias geniais e criações perfeitamente elaboradas permeiam os pensamentos mais profundos dos futuros empreendedores.  A criatividade e a diferenciação são a chave do sucesso para se destacar em meio a essa imensidão de marcas existentes.

Entretanto, não basta apenas ser destaque / excelência em suas criações e na fabricação de suas peças. Sonhar e acreditar também são fatores fundamentais para uma empresa ser referência.

Até ai tudo bem. Mas … e a parte chata da história ?!
Burocracia, termos, restrições, regras,  aspectos jurídicos, gerenciamento de marca, …  e uma série de N fatores que se fossem listados aqui fariam você desistir de tudo.

A RODA JÁ FOI INVENTADA! NÃO PERCA TEMPO TENTANDO RECRIÁ-LA.

O SEBRAE reuniu conhecimento acadêmico e técnico com a experiência vivida de muitos empreendedores – registrados, organizados e transformados em conhecimento – num livro chamado Comece Certo: Indústria da Confecção.

Nele você encontrará os ASPECTOS LEGAIS DA ATIVIDADE que compreendem uma gama de informações imprescindíveis para que você não tenha nenhuma surpresa nessa jornada.

E AGORA ?

O primeiro passo foi dado. Agora você, que está iniciando ou já tem sua empresa em perfeito funcionamento, dispõe de um material de extrema importância para a sobrevivência, e claro, para o sucesso de sua empresa.

Iniciasse aqui uma jornada de aprendizagem, onde juntos poderemos crescer cada vez mais. Em breve teremos mais conteúdos de caráter: criativo, técnico, operacional, vendas, marketing, publicidade, fotografia e diversos temas que auxiliem você a aumentar a competitividade de sua empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte, exclusivos a área da moda.

Seja bem vindo.